Sangramento Nasal | Epistaxe | Dr. Guilherme Guerra
15501
page-template-default,page,page-id-15501,page-child,parent-pageid-15322,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Sangramento nasal

Sangramento Nasal | Dr. Guilherme Guerra

O sangramento nasal, também conhecido como epistaxe, é um problema bastante comum. O nariz é um órgão extremamente vascularizado,
ou seja, tem alta concentração de vasos sanguíneos.
Muitos destes vasos se localizam na superfície da mucosa que reveste as cavidades nasais, ficando naturalmente mais expostos e mais propensos a sangramento. Vários fatores podem causar um sangramento nasal, como uma dilatação excessiva dos vasos sanguíneos devido a um quadro de resfriado, uma rinite alérgica ou inflamação
causada por uma sinusite, que pode facilitar a ruptura do vaso, levando a um sangramento.
Traumas locais, por excesso de manipulação ou aplicação inadequada de medicamentos tópicos, também podem causar sangramentos.
Isso ocorre porque uma das regiões com maior concentração de vasos sanguíneos no nariz se localiza na mucosa anterior do septo nasal, facilmente alcançável por manipulação com o dedo ou na aplicação de sprays nasais.
Geralmente os sangramentos nasais são de baixa intensidade e autolimitados. Entretanto, alguns podem ser mais intensos, gerando bastante ansiedade ao paciente, e por vezes necessitando de intervenção médica para sua resolução.
Pacientes que fazem uso de certas medicações para afinar o sangue (aspirina, clopidogrel, marevan, xarelto etc.) ou que tenham algum problema circulatório (hipertensão arterial), podem apresentar maior dificuldade em controlar um sangramento nasal existente, e são mais propensos a sua recorrência.
Em casos de sangramento nasal recorrente, o médico otorrinolaringologista pode realizar no consultório uma cauterização na mucosa nasal, principalmente quando o sangramento se origina de uma dilatação de vasos na mucosa anterior do septo nasal.

O que fazer durante um sangramento nasal ativo?

Ao contrário do que muita gente pensa, não é aconselhável levantar a cabeça, pois nestes casos o sangramento continuará, mas em vez de sair pelas narinas irá gotejar posteriormente para a garganta, tornando o controle mais difícil e demorado.
O ideal é, em posição sentada, inclinar levemente a cabeça para a frente, de modo que o sangue flua pelas narinas.
Ao mesmo tempo, comprimir com o dedo a entrada da narina de onde vem o sangramento, criando um efeito tampão (na dúvida, comprimir as duas usando os dedos indicador e polegar para fazer um pinçamento), e permanecer nesta posição por cinco a seis minutos.
Compressas de gelo no nariz e no seu entorno podem ajudar, pois criam um efeito de constrição (estreitamento) nos vasos sanguíneos.
Tais medidas costumam resolver a grande maioria dos sangramentos nasais.
No caso de o sangramento persistir, o ideal é procurar auxílio médico em uma unidade de pronto-atendimento, pois eventualmente pode ser necessário o tamponamento nasal.
Os tampões nasais são bastante variáveis em sua composição e formato. Normalmente é preferível colocar o tampão de menor dimensão possível.
Usualmente o tampão é retirado após dois ou três dias; caso o sangramento persista, pode ser necessária a cauterização cirúrgica de uma ou mais artérias que fazem a irrigação sanguínea do nariz. A cauterização cirúrgica é feita por via endoscópica, e costuma ter bons resultados.

WhatsApp
Enviar