Rinite | Dr. Guilherme Guerra
15498
page-template-default,page,page-id-15498,page-child,parent-pageid-15322,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Rinite

Rinite | Florianópolis e São José | Dr. Guilherme Guerra

O termo rinite é bastante abrangente, significando inflamação na mucosa nasal. De maneira simplificada, o conceito de inflamação tem a ver com uma reação de alguma parte do organismo, ocasionada por algum fator específico, seja um agente infeccioso (rinite infecciosa causada por vírus, bactérias ou fungos), um agente alérgico (rinite alérgica causada por pólens, ácaros, mofo etc.), agentes medicamentosos (rinite medicamentosa causada por descongestionantes nasais) ou agentes hormonais (rinite gestacional), entre outros.
Os sintomas mais comuns da rinite são a obstrução nasal, o prurido (coceira) nasal e/ou ocular e/ou na garganta, os espirros, a coriza e a hiposmia (diminuição do olfato). A apresentação clínica é bastante variável, e alguns casos podem apresentar apenas um sintoma, enquanto outros provocam vários sintomas concomitantes, o que pode causar grande impacto na qualidade de vida do paciente.

O tratamento é individualizado, visando maior espaçamento entre as crises e menor intensidade de sintomas. Muitas vezes apenas a higiene ambiental, com a remoção do fator causal, é suficiente para se obter uma grande melhora.
Por exemplo, a um paciente que é alérgico a algo bem específico, como pelo de gato, basta evitar totalmente o contato com o animal para apresentar melhora sintomática. Já em outros casos, as medidas de higiene ambiental são mais desafiadoras, como é o caso de paciente alérgicos à poeira.
Além das medidas ambientais, pode-se realizar o tratamento medicamentoso, que costuma ter bom resultado a curto e médio prazo, aliviando os sintomas e permitindo melhora na qualidade de vida. As opções de medicamentos são muitas, com cada vez maior eficácia e menores efeitos colaterais.

WhatsApp
Enviar