Pólipos Nasais | Dr. Guilherme Guerra
15506
page-template-default,page,page-id-15506,page-child,parent-pageid-15322,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Pólipos Nasais

Pólipos Nasais | Florianópolis e São José | Dr. Guilherme Guerra

Os pólipos nasais são tecidos anormais que podem crescer na mucosa de revestimento da cavidade nasal e dos seios da face, formando protuberâncias de consistência amolecida e frequentemente em formato de “gota de lágrima”.
Os pólipos geralmente são associados à grande atividade inflamatória local, e sua origem ainda é motivo de controvérsia no meio científico.
A grande maioria dos pólipos é benigna, mas certos tumores nasais podem se apresentar com aspecto inicial semelhante aos dos pólipos, sendo às vezes necessários exames complementares para auxiliar na diferenciação.
Os pólipos podem variar em tamanho, formato e localização; podem ser únicos, como o pólipo antrocoanal, ou múltiplos, como na polipose nasossinusal.

Polipose nasossinusal

A polipose nasal ou polipose nasossinusal se caracteriza por presença de múltiplos pólipos nas cavidades nasais e/ou paranasais. É uma forma de sinusite crônica, e em muitos casos está associada a outras características como asma ou intolerância à aspirina.
Existem graus variados de polipose, algumas causando poucos sintomas, e outras com grande impacto na qualidade de vida do paciente, que pode
apresentar obstrução nasal severa, pressão facial, sinusites de repetição e perda de olfato.
O tratamento é realizado com medicamentos que visam controlar o tamanho dos pólipos. Frequentemente é necessário o tratamento cirúrgico, com polipectomia endonasal endoscópica, para remover os pólipos e permitir a ventilação dos seios paranasais e o melhor acesso dos medicamentos.
Por vezes, o paciente pode necessitar de mais de uma cirurgia ao longo da vida, uma vez que alguns casos podem apresentar recidiva (ressurgimento) dos pólipos após a intervenção cirúrgica.

WhatsApp
Enviar